A importância de dizer não

Pode parecer estranho, mas dizer não pode fazer muito bem a sua autoestima.

Sobretudo quando você já passou muito tempo dizendo sim a pessoas ou situações, sem que estivesse plenamente de acordo em ceder em favor de outras pessoas.

Isso ocorre no trabalho porque não queremos que nos achem pouco parceiras, isso ocorre com o companheiro porque não quer arrumar encrenca (não de novo), com os filhos, afinal quem quer ter a fama da mãe mais chata da turma.

Muitas vezes você acaba sacrificando o tempo que teria para se curtir em prol dos outros, nada contra mesmo porque várias vezes realmente não custa nada, ainda que seja meio chato abdicar de si mesma, não é.

Sentir-se oprimida e/ ou culpada por não ceder são motivos muito comuns que nos fazem dizer sim, quando na verdade gostaríamos mesmo de dizer não e quando isto se torna frequente acostumamos os outros (marido, filhos, colegas de trabalho, vizinhos …) a nos pressionarem por saberem que se assim o fizerem ouviram um sim que tanto anseiam.

Ter seu espaço, impor seus limites são coisas essenciais para uma saúde perfeita e equilibrada.

Já repararam que quando detectamos alguém que compulsivamente diz sim as outras pessoas, este alguém inevitavelmente se queixa de saúde, queixas que vão de pequenos mal-estares a complicações moderadas?

Cansaço extremo, sono, enxaquecas, dores musculares e sistema imunológico baixo são as queixas mais frequentes de quem só “faz tudo pelos outros”.

Vire a chave, não seja omissa, ser você e ponderar todas suas atitudes durante o dia é necessário para ajuda-la a ser uma pessoa equilibrada, não dá para se deixar levar por pessoas e circunstâncias sempre e ceder o tempo todo.

Evidente que não estou aqui fazendo uma apologia ao “não para tudo e para todos” afinal, como dizia minha mãe, nem oito nem oitenta, e olha que a Dona Wanda sabia ser um doce de pessoa, mas quando a resposta era não “Pode vir o papa pedir” (ela adorava esta frase, rrsss) que não é não.

Seja sim ou não, tudo tem um motivo, principalmente o porque não e principalmente quando o assunto era com os filhos minha mãe sempre dizia o porque não. Podíamos não concordar com ela, mas não era não explicado o motivo e ponto final.

Para o maridão um “hoje não rola” deve ser mais que suficiente o mesmo quando se diz ao colega de trabalho: Sinto muito, mas agora não dá.

Ponderação é fundamental, é a linha divisória entre uma vida saudável e uma existência turbulenta ao sabor dos acontecimentos, portanto seja legal, mas não condescendente demais, respeite seus limites e vontades, faça com que respeitem, assim como você faz com o limite dos outros.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: